Arquiteto e professor da Uniessa coordena projeto de conservação e restauração de igrejas de importância regional

Clayton França Carili 

O arquiteto e professor da Faculdade UNIESSA, Clayton França Carili, foi responsável pela coordenação da equipe que desenvolveu o projeto de Conservação e Restauração da Igreja de Nossa Senhora do Rosário e Igreja de Nossa Senhora do Desterro – ambas de importância regional para o Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, localizadas no distrito do Desemboque, no município de Sacramento. 

O projeto foi concluído e está sendo enviado para análise e aprovação para o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais – IEPHA/MG, com sede em Belo Horizonte, visto que os bens culturais são tombados a nível Estadual. 

Mestre em Arquitetura e Urbanismo, especialista em Revitalização Urbana e Arquitetônica e proprietário do Escritório Época, Arquitetura, Restauro, Decoração e Paisagismo, Clayton desenvolve projetos e obras de conservação e restauração na região do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Goiás há mais de 20 anos. 

De acordo com o arquiteto, “as duas igrejas do Desemboque são verdadeiras joias da arquitetura mineira de nossa região sendo que a igreja de Nossa Senhora do Desterro possui características do barroco mineiro”.  O profissional afirma que o desenvolvimento do projeto de conservação das duas igrejas é uma vitória para o município, pois é o primeiro passo em busca da conservação e restauro dos bens culturais. 

O projeto foi composto de três etapas:

  • Levantamento arquitetônico, histórico e das patologias existentes;
  •  Anteprojeto com a proposta de conservação ao máximo dos elementos da igreja e retomada de alguns poucos elementos que foram descaracterizados e que devem ser retomados a configuração anterior e o uso, apesar de não ser o principal objetivo das intervenções de conservação e de restauro, garantem a vitalidade e a conservação dos bens culturais;
  • Projeto executivo com todas as medidas de conservação e restauro memorial dos serviços a serem executados.

Na Igreja de Nossa Senhora do Rosário, a proposta é que seja transformada em um Museu do Desemboque contando a história do povoado, das duas igrejas e da importância da Serra da Canastra. A igreja de Nossa Senhora do Desterro, mais antiga, será mantida como igreja católica, pois ainda acontecem à reza do terço, celebrações do novenário de Nossa Senhora e é a igreja que resguarda as características do barroco mineiro na região do Triângulo Mineiro.

Interior Igreja de Nossa Senhora do Rosário
Interior Igreja Nossa Senhora do Desterro
Exterior Igreja Nossa Senhora do Desterro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *